1 de set de 2015

AS ASSOCIAÇÕES DE IBIAPINA REALIZAM MAIS UMA FEIRA DA AGRICULTURA FAMILIAR

Dia 30 - Domingo, foi realizada mais uma Feira da Agricultura Camponesa Familiar. Produtos com base no Coco do Babaçu motivou a feira deste domingo. Bolos feito com a massa do babaçu, Farinha do mesocarpo do babaçu, bolo de caju com o coco do babaçu, bolo manzape, beiju de mandioca com coco do babaçu não faltou produto e nem gente com vontade de degustar os mesmos na feira. Artesanato, tomate cereja, mamão, hortaliças orgânicas, carvão vegetal do cavaco do babaçu, azeite do coco do babaçu foi o atrativo da feira. Produtos baratos e de boa qualidade, produzido pelas famílias filiadas as associações comunitárias. 

Troca de sementes de milho crioulo também ocorreu na feira motivado pelo Senhor Gonzaga e Carpegiane (Jean) com sua animação e descontração animou a feira. " O que não falta é animação."
  
A decisão do grupo é realizar a feira uma vez por mês. 

Esta atividade teve o apoio do Instituto Carnaúba e do TFCA/FUNBIO que está patrocinando o Projeto Conservação, Recuperação e uso Econômico e Sustentável do Babaçu nas Serras da Ibiapaba e da Meruoca.





26 de ago de 2015

SEMINÁRIO ECONEGÓCIO


Nos dias 22 e 23 de agosto de 2015 na comunidade de pocinhos, municípios do Graça, realizou-se mais uma atividade do Projeto Babaçu. Esta atividade foi o Seminário que teve como objetivo discutir sobre  ECONEGÓCIO.

Com a presença de participantes dos municípios de Massapê, Ibiapina e do Graça, foi possível realizarmos um trabalho que iniciou com a apresentação dos participantes, apresentação de experiências em sócio biodiversidade dos Estados do Maranhão, Ceará e Pernambuco, desenvolvimento das cadeias produtivas do Babaçu, Umbu e do Caroá.  Estas experiências motivaram o debate e as discussões. Foi feito ainda trabalhos de grupos para desenvolver os questionamentos sobre as Fortalezas, Fraquezas, Oportunidade e Ameaças que as pessoas enfrentam em suas comunidades em relação a cadeia produtiva do Coco do babaçu. Por ultimo tivemos a apresentação dos trabalhos que foram feitos nas comunidades antes do seminário sobre os gargalos encontrados para desenvolver as atividades do babaçu.


Muita motivação, alegria, descontração e esperança  é o que colhemos nestes dias. 






24 de ago de 2015

TÉCNICOS DA CONAB VISITA A COMUNIDADE TERRA NOVA

A Comunidade Terra Nova localizada no município de Massapê, recebeu a visita dos Técnicos da CONAB – Companhia Nacional de Abastecimento do Brasil, com o objetivo de dar continuidade o desenvolvimento dos programas disponíveis pelo órgão referente a cultura do Babaçu. No primeiro momento foi apresentado os programas em execução pela CONAB como funciona o SISTEMA implantado pela instituição que pode ser acessado pelas lideranças, basta estar com um computador conectado a internet.

O produtor familiar ou sua organização social deve está cadastrada ao sistema para fazer a operação de subvenção direta ao produtor extrativista – SDPE.

Nas discussões observou-se que as famílias podem ter acesso a esse programa que é o SDPE ou participar do PAA – Programa de Aquisição de Alimentos, TÍTULO 27 – COMPRA DIRETA DA AGRICULTURA FAMILIAR – CDAF. Para este item ficou a sugestão de ser trabalhado com a Farinha do Babaçu para produção de bolos e biscoitos para ser entregues as escolas das comunidades.
 
Estes programas aparecem como oportunidades de comercialização à ser desenvolvido pelas famílias engajadas no projeto.

Esta atividade faz parte de uma das metas do projeto do Babaçu executado pelo Instituto Carnaúba em parceria com o TFCA/FUNBIO. Projeto de cooperação entre BRASIL e EUA.




*Serviço:
Instituto de Ecologia Social Carnaúba
(88)3611.8124


7 de ago de 2015

COMUNIDADE DE SANHARÃO, MUNICÍPIO DE PACUJA, EXTRAI A PALHA DA CARNAÚBA COLETIVAMENTE.

A comunidade de Sanharão, no município de Pacuja – CE., no dia 07 de julho foi visitada pelo Instituto Carnaúba,representado pelos diretores Osvaldo Aguiar e Expedito Torres, para discutir a execução da coleta de palha de Carnaúba, na área do DNOS que rodeia o açude Taquara, concedido a comunidade.

Segundo o Sr. Genesio, presidente da Associação Comunitária Rural e Artesanal de Sanharão, a mobilização começou há mais de hum ano, quando a associação visitou o Sr. Joaquim Ferreira (Quincas) responsável pela Unidade de Campo das Bacias do Acaraú e Coreau. Onde foi solicitado pela a associação a doação da palha da carnaúba, na área de domínio do DNOS, para “que a palha de carnaúba a ser extraída será totalmente utilizada no desenvolvimento de atividades sociaise artesanais que serão executados pelos componentes” da associação do Sanharão, que é uma organização sem fins lucrativos”. O pleito foi acolhido pelo DNOCS (Processo nº 59402.001110/2015-01) sendo autorizado pelo Sr. Jose Falb Ferreira Gomes, Coordenador Estadual do Ceará – Substituto.

Um dos moradores mais antigos da comunidade e Ex presidente do STTR de Pacujá, Sr. Chico Mariano, nos relatou que á comunidade foi se formando ao longo de décadas, por pessoas que foram ocupando a terra de um proprietário, residente na cidade de Pacuja, e que cedia áreas para plantio de milho e feijão (roçado) e que permitia que os agricultores construíssem suas casas. Hoje a comunidade conta com organização social, capela e outras atividades sociais e esportivas.

O artesanato de palha é muito forte na comunidade, onde as mulheres produzem chapéus e camisa de garrafa, tendo como matéria prima a palha da carnaúba. A ausência de palha tem sido um problema para manutenção da atividade.

A reunião contou com aproximadamente 26 pessoas, onde foi apresentado o projeto de extração da palha, onde estão previstos, período de coleta, de beneficiamento, de capacitação em artesanato de palha e produção.





Como para o ano de 2015 já na havia tempo, a associação ficou de buscar recursos para extração no mercado local, porém o Instituto Carnaúba assumiu o compromisso de assessorar a associação na busca de recursos dos programas da agricultura familiar, junto ao Banco do Nordeste para que 2016, a associação possa contar com recursos mais baratos. Também fazem parte dos compromissos novas visitas para acompanhar o andamento das atividades e a busca de tecnologias mais eficientes para o trabalho com carnaúba.

COMEÇA A ESCOAR O BABAÇU DA COMUNIDADE DE TERRA NOVA – MUNICÍPIO DE MASSAPÊ.

Reunião de preparação na comunidade de Terra Nova
O Primeiro carregamento de coco babaçu (in natura) para unidade modelo de processamento de babaçu, da comunidade de terra nova, foi feito no dia 04 de julho.  Foram 02 meses de preparação, com reunião de produtores com os integrantes do Instituto Carnaúba para organização dos coletores.

A expectativa do primeiro carregamento foi muito grande, pois havia o problema das estradas muito íngremes, terrenos escorregadios e curvas.
Reunião de preparação na comunidade de Meruoquinha.



Na comunidade de terra nova tem pessoas que fazem o óleo de babaçu, outras tiram a massa (mesocarpo),  fazem carvão ecológico, outras quebra o coco e vendem a amêndoa. O babaçu nos meses de verão, de agosto a dezembro, é uma fonte de renda para muitas famílias.


O carregamento de coco velho se encaixa em mais uma fonte de renda para os envolvidos na comunidade. A ação, também estar trazendo outros impactos. Os coqueirais estão sendo roçados, caminhos estão sendo desobstruídos, tudo isso vai gerar um ganho para a colheita da safra nova.
Carregamento do Caminhão na Propriedade do Sr. Antonio
Atualmente já foram 03 carregamentos, sendo estimadas em 30 toneladas de coco as cargas até agora. Até o fim de 2015 deverá ser transportado cerca de mais 100 toneladas de coco.



Carregamento do Caminhão na Propriedade do Sr. Messias



A unidade de beneficiamento estar localizada no sitio São Braz, Meruoca. Trata-se de uma experiência inédita, pois estão sendo testadas diversas tecnologias e máquinas, principalmente aquelas que se adaptam a cultura e as possibilidades financeiras de implantação.  Os resultados dessas experiências estão sendo discutidos com um grupo de parceiros do Instituto Carnaúba e com os produtores. Já foram realizados diversos dias de campo para discutir e repassar os avanços e desafios.

27 de jul de 2015

FEIRA DA AGRICULTURA FAMILIAR É REALIZADA EM IBIAPINA

Foi dia 26 de julho de 2015 - Domingo, ao lado do Galpão da Agricultura Familiar do município de Ibiapina o Instituto Carnaúba juntamente com as Associações Comunitárias de Caiçara, Araças, Limão, Paturi e Taquaratis, realizaram uma Feira com produtos agrícola e não agrícola, produtos do babaçu, artesanatos, bolos, biscoitos, massa do babaçu, Azeite do babaçu, sabão, feijão preto e uma diversidade de produtos.

Além da venda de produtos  a Feira possibilitou o reencontro das pessoas das comunidades, troca de saberes e sabores, animou  o movimento associativo e sindical das comunidades. A vida social desta gente se alimenta da fé e da organização social na luta pela proteção e preservação da natureza e na junção entre homem e natureza construindo na prática a sustentabilidade.

Serviço:
O Projeto Babaçu, tem o apoio do TFCA/FUNBIO, executado pelo Instituto Carnaúba, nas Serras da Ibiapaba e Meruoca - CE.








7 de jul de 2015

QUATRO DIAS DE CAMPO SÃO REALIZADOS NO DIA CINCO DE JULHO DE 2015 - NO GALPÃO DO SÃO BRAZ - MERUOCA

No dia 05 de julho de 2015 - Sábado - ocorreram 04(quatro) dias de campo com participantes das comunidades rurais que estão participando do projeto do Babaçu dos Municípios de Ibiapina, Massapê, Viçosa do Ceará e do Graça. Objetivo apresentar e discutir as tecnologias sociais trabalhadas no decorrer das ações do projeto no sentido de melhorar o corte do coco do babaçu e assim agregar maior valor ao produto.  Organização social; Participação e envolvimento das pessoas; Proteção da natureza; Melhoria da renda familiar camponesa; 
Tecnologias Trabalhadas:
- Uso da Marreta, da Pedra e da Machadinha;
- Maquina do Maranhão;
- Corrupiu;
- Máquina "Roleta do babaçu";

Os trabalhos foram acontecendo em dois momentos. Teve atividades que aconteceram no grupão, reunindo toda a plenária e teve atividades que acorreram por municípios. Isto deu a oportunidades de realizar uma maior integração dos grupos que estão envolvidos no projeto babaçu, que tem o apoio do TFCA/FUNBIO executado pelo Instituto Carnaúba.











29 de jun de 2015

FEIRA NO MUNICÍPIO DE MUCAMBO

Domingo, dia 28 de junho de 2015, a feira foi realizada no município de Mucambo. Observamos que a maioria dos feirantes que participam da feira do município do Mucambo são os que participam da feira de Cariré no sábado passado. Eles  se organizam com produtos para participarem das duas feiras consecutivas. Este movimento gera um grau de criatividade dos feirantes como uma relação de companheirismo e de troca entre eles/as. São famílias que se organizam para venderem seus produtos agrícolas e não agrícolas. 

No Mucambo a feira tem uma proporção bem maior do que a do sábado em Cariré. O movimento é intenso nos horários de 7:00 às 11:00 da manhã.

Nesta feira você ver de tudo, é uma diversidade de produtos. Gêneros alimentícios a arreios para animais, de panela de barro a bonecas de bano. 





A Feira de Caruaru,
Faz gosto a gente vê.
De tudo que há no mundo,
Nela tem pra vendê,
Na feira de Caruaru. 
 (Luiz Gonzaga)

FEIRA REALIZADA NO MUNICÍPIO DE CARIRÉ

Sábado, dia 27 de junho de 2015, a feira foi realizada no município de Cariré. Expositores da Serra da Ibiapaba participaram trazendo Rapadura, Tijolinho, Manzape, Farinha branca, Goma fresca além de frutas e verduras. Outros grupos da Serra que trabalham com artesanato de barro fizeram uma tenda com seus trabalhos.  




 

26 de jun de 2015

Iª OFICINA DE ECONEGÓCIO DO BABAÇU

Iª Oficina de Econegócio do Babaçu, foi realizada pelo Instituto Carnaúba, ação desenvolvida pelo "Projeto Conservação, Recuperação e Uso Econômico e Sustentável do Babaçu". Esta atividade ocorreu nos dias 24 e 25 de junho/15 na comunidade Patury no município de Ibiapina. A Oficina teve como objetivo de capacitar as pessoas para o planejamento estratégico e gestão do plano de negócio do babaçu. Esta atividade tem o apoio do TFCA/FUNBIO. Contamos com a participação das comunidades Taquaratis, Araças, Limão e Patury. 



Colaboração do Prof. Osvaldo Aguiar, Prof. Assís Carlos, Profa. Katia. Agradecemos as famílias da Comunidade Patury  que nos acolheram e que se dedicaram no desempenho da oficina.